O piloto Alexandre Barros, o maior nome do motociclismo brasileiro até hoje, anunciou que não participará mais das provas do Superbike Brasil.

A notícia, publicada em redes sociais,  pegou todos de surpresa. Principalmente porque foi anunciada no final da manhã de sábado, depois que os treinos classificatórios já estavam definidos, inclusive com Alexandre Barros largando da segunda fila.

Alexandre Barros anuncia o fim de sua participação no Superbike Brasil - Foto: Sampafotos
Alexandre Barros anuncia o fim de sua participação no Superbike Brasil – Foto: Sampafotos

O motivo seria porque Alex Barros não concordou com os resultados dos testes de conformidade na moto de Eric Granado, realizados após o grande prêmio de Goiânia. Barros entrou com um pedido para que a moto de Granado fosse vistoriada.

Segundo informações da organização do Superbike Brasil, a moto de Eric Granado foi lacrada e enviada para vistoria e testes no Senai. As informações da organização dizem que o Senai é entidade credenciada pela CBM – Confederação Brasileira de Motociclismo, entidade à qual o Superbike Brasil é subordinado.

O Senai, ainda segundo informações do Superbike Brasil,  é credenciado inclusive pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para a etapa de Fórmula 1 no Brasil para verificação caso exista suspeita de irregularidades.

Três dias após o grande prêmio de Goiânia, o Superbike Brasil soltou uma nota dizendo que moto de Eric Granado teria sido aprovada nos quesitos pistão, biela e virabrequim. Esses 3 itens devem ser originais de fábrica. Ou seja, a moto pode passar por outras reformulações, desde que esses itens não sofram alterações. Essa seria a regra para todos, segundo informa o Superbile Brasil.

moto de Eric Granado. Alexandre Barros solicitou vistoria logo após o GP de Goiânia.
moto de Eric Granado. Alexandre Barros solicitou vistoria logo após o GP de Goiânia.

Alexandre Barros não teria ficado satisfeito com o resultado da verificação e entrou com recurso no STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva. O resultado em 29 de novembro deu ganho de causa à Confederação Brasileira de Motociclismo – CBM, entidade que regula o Superbike Brasil.

Diante disso, Alex Barros decidiu então não participar das corridas da última etapa e nem das próximas, anunciando o desligamento da equipe Alex Barros Racing do Superbike Brasil.

Comunicados Oficiais:

Alexandre Barros, nas redes sociais (30/11 às 11:15):

“Bom Dia meus amigos!

Gostaria de agradecer a todos que me acompanham e sempre me mandaram mensagens de força e apoio, agradecer por toda a torcida e sou muito grato por todo o carinho e atenção.

Mesmo com dificuldades físicas e lesões que ainda venho carregando, sempre nos esforçamos para estar competitivos e somarmos para proporcionar o melhor espetáculo.

Todos nós precisamos saber o que significa ser honesto. Honestidade é muito mais do que não mentir. É falar a verdade, contar a verdade, viver a verdade e amar a verdade.

Porém os fatos ocorridos recentemente me fez tomar esta decisão, eu Alex Barros não vou correr neste domingo na última etapa do SBK Brasil dia 01/12 e também a equipe Alex Barros Racing encerra por completo suas atividades agora e futuras no SBK Brasil.

Peço desculpas por criar qualquer transtorno pelo inconveniente, mas para mim a verdade é a base da formação.

Agradeço a compreensão de todos vocês.

Grande Abraços

Salmos 75:2
Tu dizes: Eu determino o tempo em que julgarei com a justiça”

Alexandre Barros
Alexandre Barros – foto: Facebook

Superbike Brasil (30/11)

“Na tarde deste sábado (30 de novembro), a organização do SBK Brasil ficou ciente do comunicado realizado pelo piloto Alex Barros em que declara que não irá participar das corridas deste domingo, válidas pela etapa final da temporada 2019. Atualmente Alex Barros ocupa a 2° posição geral na categoria principal, SuperBike, com chances de conquistar o título. Ele largaria em 2° lugar nesta etapa.

O SBK Brasil reconhece e agradece toda a contribuição de Barros ao esporte e ao evento, entretanto, embora respeite sua decisão, a organização lamenta pelo impacto gerado aos patrocinadores e sobretudo aos inúmeros fãs que se programaram para assistir à última etapa neste domingo e prestigiá-lo nas pistas nesta grande final.

Com relação as declarações realizadas sobre fatos que possam questionar a conduta do campeonato, esclarecemos que o SBK Brasil é um campeonato privado, submisso as regras e condições impostas pela CBM – Confederação Brasileira de Motociclismo, responsável pelos regulamentos, procedimentos, vistorias e demais práticas desportivas.

A organização esclarece ainda os seguintes fatos já noticiados;

  • Durante a 7ª etapa, em Goiânia, Barros ingressou com um recurso para que a motocicleta de Eric Granado, da Honda Racing Brasil, tivesse seu motor vistoriado.
  • Seguindo os procedimentos, a moto foi confiscada, lacrada, e transportada para um órgão independente (SENAI), que performou na presença de todos os envolvidos todas as medições e pesagens. Emitindo um relatório que, por sua vez, amparou a Confederação a publicar a decisão final de total conformidade técnica do motor da moto de Eric Granado em relação aos únicos três itens que são restritos no regulamento 2019 – são eles: pistão, biela, e virabrequim.
  • Todos os testes e análises foram performados por engenheiros e professores da entidade, confrontados com as especificações e circulares da FIM (Federação Internacional de Motociclismo), os quais fundamentaram as afirmações.
  • Dentro de seus direitos, a equipe protestante não aceitou a decisão da Confederação, e optou por recorrer ao STJD – Superior Tribunal de Justiça Desportiva, onde um júri, composto por no mínimo 5 advogados, todos indicados pela OAB, avaliaram a demanda.
  • Na tarde desta última sexta, 29 de novembro, após protestante (Barros) e protestado (CBM) protocolarem suas defesas, foi deliberado por unanimidade a confirmação de que o relatório da Confederação estava correto, e sendo assim sua decisão de conformidade da moto de Eric Granado.

O campeonato mais uma vez lamenta, e reitera que segue as decisões tomadas pelos órgãos competentes.”

Deixe uma resposta