SuperBike Brasil 2021 – Etapa em Interlagos já traz mudanças nas categorias e foco na formação de jovens pilotos

De casa nova, Pedro Sampaio busca seu primeiro título na categoria PRO do SuperBike Brasil - Foto: Juliano Capreti
De casa nova, Pedro Sampaio busca seu primeiro título na categoria PRO do SuperBike Brasil – Foto: Juliano Capreti

Neste domingo (30), será dada a largada da tão esperada temporada 2021 do SuperBike Brasil. Ao todo serão oito etapas, sendo cinco no Autódromo de Interlagos, que vai sediar a grande estreia, e as demais em Goiânia, Curitiba e Lima Duarte, localizada em Minas Gerais. Para este ano, há mudanças nas categorias e o número de pilotos aumentou com relação ao ano passado.

Principal palco da temporada, o Autódromo de Interlagos já está preparado para receber as etapas do maior campeonato de motovelocidade das américas. O diretor administrativo do autódromo, Marcelo Pinto, se diz confiante para mais um ano de motovelocidade. “Estamos contentes e confiantes para mais uma temporada do campeonato de motovelocidade SuperBike Brasil, com todas medidas sanitárias e, principalmente, de segurança seguidas à risca, e ainda sem público. Vamos com certeza ter um grande espetáculo”, afirma.

O otimismo de Marcelo não é à toa. Desde o início da pandemia, a organização do evento tem seguido a cartilha das medidas de restrições contra o Covid. Além disso, o número de pilotos aumentou com relação a 2020. Segundo Bruno Corano, fundador e idealizador do SuperBike Brasil, esse crescimento chegou a ser uma surpresa. Inclusive, ele está confiante que o cenário melhore ainda mais no futuro.

Bruno Corano, fundador e idealizador (e piloto!) do SuperBike - foto: Savastano Photo Sport
Bruno Corano, fundador e idealizador (e piloto!) do SuperBike – foto: Savastano Photo Sport

“Por mais que ainda estejamos em pandemia, o evento segue firme e forte e vamos passar por essa fase. O número de pilotos, comparado ao ano anterior, já voltou a crescer, por mais que ninguém esperasse. Estamos confiantes que as coisas irão retomar”, explica Bruno.

Além do aumento no número de competidores, as categorias também passaram por mudanças. Com isso, elas estão segmentadas em oito divisões, sendo elas: SBK PRÓ, a principal categoria e elite da motovelocidade do Brasil. A SBK Light, com pilotos experientes e que pilotam em um tempo muito próximo ao da categoria principal. A SuperSport 600Cc, com pilotos iniciantes, em seu primeiro ano na motovelocidade, ou que possuem tempo acima de 1:50.000. A Copa Pro Honda, com atletas que competem com monomarca Honda. Ninja 400 Cup Pro, com pilotos que andam na categoria monomarca Kawasaki. SuperSport 4000, de motos com 400Cc. SuperBike Escola, para pilotos sem experiência em competições ou que não possuem índice de tempo para andar na Light.
Além dessas, a Honda Junior Cup, categoria que mais revela jovens pilotos do país, virá mais forte.

Guilherme Brito, atual campeão da Copa Pro Honda CBR 650R - Foto Ricardo Santos/ Mundo Press
Guilherme Brito, atual campeão da Copa Pro Honda CBR 650R – Foto Ricardo Santos/ Mundo Press

De acordo com Bruno Corano, o foco na formação de novos atletas será ainda maior. “Estamos muito focados, daqui para frente, em dar muita ênfase nas categorias de formação de base. Muita coisa está sendo feita na Júnior, pois isso é uma preocupação muito grande do SuperBike, que é formar as próximas gerações de pilotos”, ressalta.

Canal do Youtube do Superbike Brasil vai transmitir todas as provas ao vivo. Para assistir, acesse o link: https://www.youtube.com/user/SuperBikeBrasil

SuperBike Brasil 2021 estreia neste domingo

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui